Praça Maciel Pinheiro

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

A Praça Maciel Pinheiro situa-se no bairro da Boa Vista, próxima à Igreja Matriz e em frente a um casario histórico. Teve essa denominação depois da Proclamação da República para homenagear o Dr. Luiz Ferreira Maciel Pinheiro, integrante da luta pela causa democrática e libertação dos escravos. Entretanto outras designações são destacadas para este espaço como Praça Conde D’eu, Praça da Boa Vista, Praça de N. Sª. da Conceição da Boa Vista. No local foi instalado um chafariz para abastecimento d’água da população, que, posteriormente, foi substituído por uma fonte-chafariz, executada pelo Mestre André Wilmer em pedra artificial. Depois de destruída a fonte-chafariz, um novo chafariz o substituiu em 1875, erguido em comemoração ao final da Guerra do Paraguai.

Saiba mais…

Inventário

 

previous arrow
next arrow
Slider
Localizada em área plana, a Praça Maciel Pinheiro estrutura-se por um traçado simétrico pontuado pelo espelho d’água e fonte que se destacam no centro da composição. A intervenção proposta por Burle Marx para esta Praça foi de valorização deste espaço já consolidado, compreendendo-o como recinto que incluía a relação com a Igreja Matriz, como se fosse o seu jardim.
Flora

Sem o registro do projeto original de Burle Marx, em 1936, tomou-se como referência os desenhos por ele realizados na época, quando foi possível identificar espécies de tulipas e palmeira-leque-de-finji. Segundo o levantamento florístico realizado em 2001 pelo Laboratório da Paisagem/UFPE, foram registrados na praça espécies do estrato herbáceo – lírio; arbóreo – coração-de-negro e palmeiras, como a palmeira-sabal e a tamareira-de-jardim.

Descrição

Localizada em área plana, a Praça Maciel Pinheiro estrutura-se por um traçado simétrico pontuado pelo espelho d’água e fonte que se destacam no centro da composição. A intervenção proposta por Burle Marx para esta Praça foi de valorização deste espaço já consolidado, compreendendo-o como recinto que incluía a relação com a Igreja Matriz, como se fosse o seu jardim. Para isso o paisagista desenhou canteiros de forração florida e colorida, introduziu palmeiras para valorizar com verticalidade determinados recantos e assim ressaltou a imponência da fonte com seu espelho d’água, como elemento escultórico em meio à vegetação.

Estrutura

Fonte de 1875; Bancos de madeira tipo veneziano; Postes de iluminação de ferro; Obra de arte: escultura de Clarice Lispector do artista plástico Demetrius Albuquerque; Placa de metal alusiva à requalificação da praça; Placa de concreto com poema.

Localização

Localização: Definida pela Rua do Aragão, Travessa do Veras e Avenida Manoel Borba, no Bairro da Boa Vista no centro da cidade do Recife.

Área: 1.270,14 m2

Intervenções: Projeto de pequena intervenção proposta por Roberto Burle Marx (1936).

Entorno

A Praça Maciel Pinheiro no Bairro da Boa Vista tem sua relação com o entorno, em especial com a Igreja da Matriz para onde a Praça converge, em forma de triângulo, abre-se para a Avenida Manoel Borba e afunila-se para as ruas do Hospício e Imperatriz Tereza Cristina. Inserida no tecido urbano do Recife de séculos passados, é contornada por casario histórico ou edificações em lotes estreitos e sem recuo, fazendo da Praça o jardim/hall deste conjunto edificado.

 

Todas as praças

 

Veja também

Praça Dezessete

A Praça Dezessete homenageia os heróis da Revolução Republicana de 1817. A origem de seu