Praça Sérgio Loreto

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

A Praça Sérgio Loreto, que anteriormente era conhecida como “Campina do Bodé”, “Praça do Muniz” e Praça Siqueira Campos, é um dos espaços públicos do Recife considerados como um dos mais acolhedores e românticos, graças ao seu desenho, característica do paisagismo inglês, com as suas linhas curvas, delineando um grande lago e seus passeios sinuosos, amparados por grandes árvores e imponentes palmeiras imperiais. Em todo o seu espaço, a Praça Sérgio Loreto abriga uma ilha artificial com uma palmeira no centro do lago, uma ótima área para caminhadas.

A Praça Sérgio Loreto, atualmente adotada pelo Clube de Máscaras “Galo da Madrugada”, é o palco principal da saída do desfile da Agremiação, no sábado de Carnaval. Assim como a Praça da Independência ou Pracinha do Diário, a Praça Sérgio Loreto também foi palco de grandes carnavais de Rua do Recife, entre as décadas de 1950 a 1970.

Era lá que se concentravam os veículos que faziam parte do corso (desfile de carros abertos, caminhonetes e até caminhões), que percorriam as principais ruas e avenidas dos bairros de São José, Santo Antonio e Boa Vista. Na Praça desfilavam ainda algumas Agremiações do bairro de São José, como o Clube Carnavalesco Misto Vassourinha, o Bloco Batutas de São José, os Clubes Carnavalescos Pão Duro e Prato Misterioso e a Escola de Samba Estudantes de São José, que se preparavam para os desfiles oficiais que aconteciam na Praça da Independência, nos dias de carnaval, promovidos pela Prefeitura do Recife.

A Praça Sérgio Loreto teve a sua origem no final do século XVIII, através de uma resolução do então governador de Pernambuco Dom Tomás José de Melo, para evitar os constantes alagamentos provocados pelas variações das marés, que prejudicavam o deslocamento das pessoas que habitavam a Fortaleza das Cinco Pontas ao povoado de Afogados. Lá, foi realizado um grande aterro e construído um viveiro de peixes que ficou conhecido como “viveiro do Muniz”, numa referência ao dono do terreno, Antonio José Muniz.

A construção da praça propriamente dita aconteceu entre os anos de 1924 e 1926, por iniciativa do então prefeito do Recife, Antonio de Goes, que resolveu denominá-la de Praça Sérgio Loreto, numa homenagem ao governador de Pernambuco, Sérgio Teixeira Lins de Barros Loreto (1887-1937).

Flora

Um belo conjunto de palmeiras imperiais, um lago artificial em linhas sinuosas, uma ponte construída em madeira e parte em concreto, uma ponte metálica ligando o passeio interno à área externa.

Estrutura

O tradicional Coreto onde eram realizadas várias audições de bandas de música e hoje abriga as esculturas em homenagem ao Clube de Máscaras ”Galo da Madrugada” e seu criador, o carnavalesco Enéas Freire. Outro monumento de destaque é em homenagem à Restauração Pernambucana, do renomado artista plástico Abelardo da Hora.

Localização

A Praça fica localizada no Bairro de São José, início da Rua da Concórdia, Rua Imperial e Av. Dantas Barreto.

Entorno

Nos seus arredores encontram-se ainda a Sede do Clube de Máscaras “Galo da Madrugada”, na esquina com a Rua da Concórdia, o colégio estadual Sergio Loreto, também construído no mesmo ano da praça, antigas edificações onde funcionavam o cotonifício Othon Bezerra de Melo e a Fábrica de Doces e Chocolates “Peixe”.

Veja também

Praça Dezessete

A Praça Dezessete homenageia os heróis da Revolução Republicana de 1817. A origem de seu